Arquivo da categoria: Contos/crônicas

Uma noite pra dormir com minha mãe

Esta galeria contém 1 foto.

Na noite de ontem, eu dormi com minha mãe. Dormi abraçada a ela, sentindo o perfume do seu cabelos, a textura da sua pele. Por vezes, acordei sobressaltada e conferi se ela estava respirando, como ela deve ter feito comigo … Continuar lendo

Galeria | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

Guardados queridos

Eu adorava Legião  Urbana. E continuo adorando.   E o que é melhor, acho que hoje me identifico ainda mais com as letras. Me tocam demais. Lembro direitinho da primeira vez que ouvi Legião. Foi a música “Quase sem querer”.  Eu era … Continuar lendo

Galeria | Marcado com , | Deixe um comentário

Eu queria muito – Carmélia Cândida

Esta galeria contém 1 foto.

Eu queria muito ser o cachorro da minha casa. Primeiro, tenho que dizer que sou doida com ele. Todo o mundo, lá em casa, é. Ele é tão fofinho, tão lindo, carinhoso e alegre. Quando eu não tenho nada pra fazer, eu costumo ficar imaginando as coisas, é gostoso porque, no meu pensamento, elas acontecem do jeitinho que eu quero, e eu me sinto muito bem. Continuar lendo

Galeria | 5 Comentários

De mãos dadas pelos caminhos das rosas vermelhas

Minha  mãe foi diagnosticada com Alzheimer há mais ou menos sete anos. Não sei o mês exato, mas foi em abril ou maio. Lembro que saí do consultório médico sem chão, fui para o trabalho e procurei por uma sala … Continuar lendo

Publicado em Alzheimer, Contos/crônicas, Pessoal, Teatro, Textos de Carmélia Cândida | Marcado com , , , , , , , , | 2 Comentários

Uma noite na boemia – Para se embriagar

A poesia me fascina. A poesia que há em uma música, em um poema, filme, numa imagem, num momento, num olhar… Enfim, a poesia que há na vida, no mundo, que existe independentemente de vivermos em meio a caos, dificuldades, … Continuar lendo

Publicado em Contos/crônicas, Eventos, Pessoal | Deixe um comentário

Raminhos à porta

Minha mãe, no tempo em que era possível visitar uma pessoa sem telefonar antes, tinha o hábito antigo de, não encontrando ninguém em casa, deixar um pequeno ramo ou uma flor, geralmente colhidos no próprio jardim ou nas proximidades da … Continuar lendo

Publicado em Contos/crônicas, Pessoal, Textos de Carmélia Cândida | Deixe um comentário

De coração

A escritora Martha Medeiros diz, em uma de suas crônicas, que a gente nunca sabe de nada até que chega a nossa vez, o que é a mais pura verdade. Por mais que imaginemos nossa reação diante de um acontecimento, … Continuar lendo

Publicado em Contos/crônicas, Pessoal, Textos de Carmélia Cândida | Marcado com , , | Deixe um comentário

Nas juntas!*

Inventaram, no Japão, um aparelho capaz de rejuvenescer completamente a pele. Parece até coisa de filme de ficção científica. E o uso do aparelho não é complicado. A pessoa tem que usá-lo religiosamente no mínimo oito horas por dia durante … Continuar lendo

Publicado em Contos/crônicas, Pessoal | Deixe um comentário